Quem quer ser o melhor estrangeiro?

A Academy Awards anunciou hoje a lista com 81 filmes inscritos, que concorrem à lista final de cinco, para a disputa de Melhor Filme de Língua Estrangeiro. Pela primeira vez o Paraguai inscreveu um filme na lista para disputar uma vaga no prêmio mais importante do cinema mundial. O Brasil concorre com “Que Horas Ela Volta?”, da cineasta Anna Muylaert.

Os escolhidos para concorrer à estatueta da 88ª edição do Oscar serão anunciados no dia 14 de janeiro de 2016. A premiação acontece no dia 28 de fevereiro, no Dolby Theatre, em Hollywood.

Veja a lista:

Afeganistão, “Utopia,” de Hassan Nazer
África do Sul, “The Two of Us,” de Ernest Nkosi
Albânia, “Bota,”  de Iris Elezi e Thomas Logoreci
Alemanha, “Labyrinth of Lies,” de Giulio Ricciarelli
Argélia, “Twilight of Shadows,” de Mohamed Lakhdar Hamina
Argentina, “The Clan,” de Pablo Trapero
Austrália, “Arrows of the Thunder Dragon,” de Greg Sneddon
Áustria, “Goodnight Mommy,” de Veronika Franz e Severin Fiala
Bangladesh, “Jalal’s Story,” de Abu Shahed Emon
Bélgica, “The Brand New Testament,” de Jaco Van Dormael
Bósnia-Herzegóvina, “Our Everyday Story,” de Ines Tanović
Brasil, “Que Horas Ela Volta?” (“The Second Mother”), de Anna Muylaert
Bulgária, “The Judgment,” de Stephan Komandarev
Camboia, “The Last Reel,” de Sotho Kulikar
Canadá, “Félix and Meira,” de Maxime Giroux
Casaquistão, “Stranger,” de Yermek Tursunov
Chile, “The Club,” de Pablo Larraín
China, “Go Away Mr. Tumor,” de Han Yan
Cingapura, “7 Letters,” de Royston Tan, Kelvin Tong, Eric Khoo, Jack Neo e Tan Pin Pin
Colômbia, “Embrace of the Serpent,” de Ciro Guerra
Costa do Marfim, “Run,” de Philippe Lacôte
Costa Rica, “Imprisoned,” de Esteban Ramírez
Coreia do Sul, “The Throne,” de Lee Joon-ik
Croácia, “The High Sun,” de Dalibor Matanić
Dinamarca, “A War,” de Tobias Lindholm
Eslováquia, “Goat,” de Ivan Ostrochovský
Eslovênia, “The Tree,” de Sonja Prosenc
Espanha, “Flowers,” de Jon Garaño e Jose Mari Goenaga, directors;
Estônia, “1944,” de Elmo Nüganen
Etiópia, “Lamb,” de Yared Zeleke
Filipinas, “Heneral Luna,” de Jerrold Tarog
Finlândia, “The Fencer,” de Klaus Härö
França, “Mustang,” de Deniz Gamze Ergüven
Geoórgia, “Moira,” de Levan Tutberidze
Grécia, “Xenia,” de Panos H. Koutras
Guatemala, “Ixcanul,” de Jayro Bustamante
Holanda, “The Paradise Suite”, de Joost van Ginkel
Hong Kong, “To the Fore,” de Dante Lam
Hungria, “Son of Saul,” de László Nemes
Islândia, “Rams,” de Grímur Hákonarson
Índia, “Court,” de Chaitanya Tamhane
Irã, “Muhammad: The Messenger of God,” de Majid Majidi
Iraque, “Memories on Stone,” de Shawkat Amin Korki
Irlanda, “Viva,” de Paddy Breathnach
Israel, “Baba Joon,” de Yuval Delshad
Itália, “Don’t Be Bad,” de Claudio Caligari
Japão, “100 Yen Love,” de Masaharu Take
Jordânia, “Theeb,” de Naji Abu Nowar
Kosovo, “Babai,” de Visar Morina
Letônia, “Modris,” de Juris Kursietis
Líbano, “Void,” de Naji Bechara, Jad Beyrouthy, Zeina Makki, Tarek Korkomaz, Christelle Ighniades, Maria Abdel Karim e Salim Haber
Lituânia, “The Summer of Sangaile,” de Alanté Kavaïté
Luxemburgo, “Baby (A)lone,” de Donato Rotunno
Macedônia, “Honey Night,” de Ivo Trajkov
Malásia, “Men Who Save the World,” de Liew Seng Tat
México, “600 Miles,” de Gabriel Ripstein
Montenegro, “You Carry Me,” de Ivona Juka
Marrocos, “Aida,” de Driss Mrini
Nepal, “Talakjung vs Tulke,” de Basnet Nischal
Noruega, “The Wave,” de Roar Uthaug
Paquistão, “Moor,” de Jami
Palestina, “The Wanted 18,” de Amer Shomali e Paul Cowan
Paraguai, “Cloudy Times,” de Arami Ullón
Peru, “NN,” de Héctor Gálvez,
Polônia, “11 Minutes,” de Jerzy Skolimowski
Portugal, “Arabian Nights – Volume 2, The Desolate One,” de Miguel Gomes
Quirguistão, “Heavenly Nomadic,” de Mirlan Abdykalykov
Reino Unido, “Under Milk Wood,” de Kevin Allen
República Dominicana, “Sand Dollars,” de Laura Amelia Guzmán e Israel Cárdenas
República Tcheca, “Home Care,” de Slavek Horak
Romênia, “Aferim!” de Radu Jude
Rússia, “Sunstroke,” de Nikita Mikhalkov
Sérvia, “Enclave,” de Goran Radovanović e Boo Junfeng, K. Rajagopal
Suécia, “A Pigeon Sat on a Branch Reflecting on Existence,” de Roy Andersson
Suíça, “Iraqi Odyssey,” de Samir
Taiwan, “The Assassin,” de Hou Hsiao-hsien
Tailândia, “How to Win at Checkers (Every Time),” de Josh Kim
Turquia, “Sivas,” de Kaan Müjdeci
Uruguai, “A Moonless Night,” de Germán Tejeira
Venezuela, “Gone with the River,” de Mario Crespo
Vietnã, “Jackpot,” de Dustin Nguyen
Em negrito estão os cotados como os fortes candidatos a uma vaga na lista final, por sites especializados e devido ao seu desempenho no circuito de festivais internacionais.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s